segunda-feira, outubro 29, 2007

qe foi?

Sentes o vento nas tuas veias. Sentes o ar da noite arrepiando os teus cabelos. De olhos fechados, não reconheces nada...nada a não ser a noite. Sabes que chegaste até aí. Estás no pico do teu mundo. Todo e qualquer passo seguinte será para mundos não conheces. Ou...podes sempre recuar. Mas nem esse conceito existe no teu mundo. Então, até voltar atrás será entrar noutro mundo...desconhecido. Não sabes como aí chegaste. Terei caído de algum lado? - pensas. Não pode ser. Estás no pico. Resta saber...aí não podes ficar. Não podes. É uma convenção. Dás o passo. Só há uma dúvida: puseste o pé em terra...ou em vão?

sábado, outubro 27, 2007

Uhh...

...já ía!

Está frio.

foto do google
Só hoje senti
Que o rumo a seguir Levava pra longe Senti que este chão Já não tinha espaço Pra tudo o que foge Não sei o motivo pra ir Só sei que não posso ficar Não sei o que vem a seguir Mas quero procurar E hoje deixei De tentar erguer Os planos de sempre Aqueles que são Pra outro amanhã Que há-de ser diferente Não quero levar o que dei Talvez nem sequer o que é meu É que hoje parece bastar Um pouco de céu Um pouco de céu Só hoje esperei Já sem desespero Que a noite caísse Nenhuma palavra Foi hoje diferente Do que já se disse E há qualquer coisa a nascer Bem dentro no fundo de mim E há uma força a vencer Qualquer outro fim Não quero levar o que dei Talvez nem sequer o que é meu É que hoje parece bastar Um pouco de céu
Um pouco de céu Mafalda Veiga

quinta-feira, outubro 25, 2007

Zoe

Cheguei para almoçar...e ela já cá não estava.
>
Aquelas orelhas cinzentas, aqueles olhos castanhos, as pantufas brancas e a permantente expressão curiosa não vieram dizer "Olá! Como correu hoje?" quando entrei em casa...
>
É mau lembrar que a última vez que a vi, ralhava com ela por estar a trepar pelas minhas calças acima, cravando as unhas na minha pele... Eu estava muito irritada, e ela só vinha saber porquê...
>
>
Olho pela janela estas nunvens cor-de-laranja que parecem rastos de tractores de pneus esquisitos.
Gosto de acreditar que ela se pôs a brincar ali...pelas nuvens, perseguindo a cauda preta...e se esqueceu de vir para casa.

sexta-feira, outubro 19, 2007

Explicando um pouco...

Caros leitores...andei à procura de um poema. E não encontrei o que queria. Mas acho que não preciso. Para explicar (sobbretudo a mim própria) porque disse "quero ser como ela" no meu último post, acho que um poema não meu...não perde pela ausência.
É, sim, aquela senhora ali em baixo, a pessoa mais importante da minha vida [já aqui cometi o mesmo erro no ano passado...queria dizer "na minha vida"=))] e há algum tempo me apercebi disso...
Foi aquela que cá me trouxe e foi aquela que nunca me deu asas...mas me ensinou a fazê-las!!!
Foi aquela que me mostrou sempre as suas extensas culturas de amizade extrema e os seus vastos campos de confiança inexplorada...
Foi aquela que me deixou a fazer birra até eu perceber a minha estupidez...
É aquela que se orgulha de ser diferente e me mostra todos os dias que nunca faço nada de novo...
É aquela que me ama, por muito que chegue atrasada, por mais que responda torto, por maior que seja a minha tromba dia após dia...e que me mostra um sorriso que grita "TÁS A SER PARVA!!"..
É aquela que aprendi a conhecer...a fazer sorrir - mesmo que só por dentro!!, a levantar e andar, a compreender e dar espaço...tempo para dar o passo...
É aquela que tem o olhar mais lindo deste mundo...
[Lembras-te? Ela disse "Vocês só têm uma diferença: os olhos dela são mais bonitos que os teus!"]

É aquela que eu quero ser!

Porque ama, porque acredita, porque vive, porque nasce a cada segundo, porque morre a rir, porque não tem medo, porque luta, porque persegue, porque simplifica, porque sente, porque corre, porque crê, porque ensina, porque consegue, porque explica, porque oferece, porque espera, porque fala, porque reprova sem dizer, porque ouve, porque lê, porque está lá, porque entende, porque conhece, porque opina, porque ri, porque pensa, porque também precisa e também chora...

Somos cúmplices no jogo arriscado me amar...

Somos duas na estrada das letras dentro de filmes de textos com coisas vermelhas, cilíndricas, no meio da rua, com um orifício onde se põem envelopes, por onde comunicamos com gestos...

Dedico-te, hoje, Cabeças no Ar...

"(...)No meio das amigas

Aprende-se ainda mais

As ciências naturais

Cabem na palma da mão(...)"

Também quero ser (perdão. existir.) como tu...porque estás mais perto dEle que eu...e Amas como eu quero Amar um dia.

quinta-feira, outubro 18, 2007

quinta-feira, outubro 11, 2007

A Palavra

"Comunicação, característica primordial do Homem, o que somos nós sem as relações interpessoais? Pessoas amarguradas, sós, ocas, é impossivel imaginar a vida sem comunicação. Expressamo-nos de várias formas, seja a pintar, a escrever, a falar, a cantar, e um dos nossos bens mais precisoso é sem dúvida a Palavra. Foram as palavras dos apóstolos que levaram a vida de Jesus a todo o mundo, foi o grito de Ipiranga que deu a independência ao Brasil, as palavras d' Os Lusiadas demonstraram a todo o mundo que os portugueses não eram apenas gordos preguiçosos de bigode mas sim um povo que quando acreditava podia revolucionar o mundo, "Eu tive um sonho..." palavras do discurso de Martin Luther King Junior mudaram para sempre as teorias raciais, a voz de Zeca Afonso ajudou os portugueses a gritarem liberdade..."
Por palavras te digo que te adoro, que gosto muito de ti, que me preocupo contigo, que estou aqui para o que precisares, que, como um dia disseste, que os amigos estão aqui é para os podermos chatear, que são aqueles que, mesmo sabendo tudo sobre nós, nos querem por perto...
Tantas vezes queria poder virar-me para ti e dizer-te Adoro-te!, ou outras tantas poder simplesmente abraçar-te como se abraça um amigo daqueles amigos...
Mas sou fraca. Mas tenho medo. E...és tu.
Por isso, apenas deste modo podes ficar certo (sim, porque sei que cá virás esbarrar com este texto) de que me lembro de ti vezes que te poderiam chocar...e que ocupas um lugar à chuva....aqui...no meio de mim.

[Parecias tão pequenino, um dia desses que passam e fazem a gente dar conta... Tão pequeno, amargurado por um Mundo imenso de complicações e problemas que só vêm chatear a nossa vida... Queria falar-te...queria ser aquilo de que precisavas e te vinha a calhar... Mas não consegui. Sinto-me verdadeiramente inútil.]

"Quero dizer uma palavra, mas não consigo. Quero dizer uma palavra, mas não dá. Quero dizer uma palavra, mas sou fraco."

terça-feira, outubro 09, 2007

Bjork - It's Oh So Quiet

Aqui está. Gosto deveras desta música. E, de certa maneira, desenha-me...hoje. =D

10.

Outubro. Ora aí está um mês simpático. Era melhor se andasse por aí mais chuva...menos calor...mas o mês, por si só, é simpático. Muita gente a fazer anos! Muita coisa a acontecer! Gosto de Outubro. É sempre o mês em que acordo para a Bjork. Acho que...a Bjork é uma artista. Mas artista mesmo artista. Com um estilo muito próprio, muito autêntico, muito sem-medo...gosto. A Bjork não se compreende da noite para o dia. Eu às vezes levo muito tempo a...pronto. Tenho de acordar...e adormecer para a Bjork. Para poder gostar dela como deve ser. Não ao Agosto! O Agosto é feio. Vou espirrar contra o Agosto. Ficam com uma das minhas músicas preferidas. Em Outubro, claro, Bjork. Vou à procura.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Cenas em geral

Hoje lembrei-me que não pus aqui o habitual - e parvo - texto a dizer "temos de acordar os Green Day porque Setembro já acabou" [porque os Green Day, contemporânea banda de Rock, têm uma música chamada "Wake me up when September ends", parte do album American Idiot].
Hoje lembrei-me que se calhar já não vou a tempo de comprar um bilhete para os Da Weasel no Pavilhão Atlântico, nem tão pouco a tempo de convencer a minha mãe a deixar-me ir.
Hoje lembrei-me que tenho dois trabalhos de grupo em atraso, que por acaso são para a professora de História...
Hoje lembrei-me de muita coisa, agora que penso nisso.
Não é vulgar lembrar-me das coisas.
.
.
Mas hoje apercebi-me de que tinha voltado a conseguir pintar.
Depois de um ano de...crepúsculo cerebral total e absoluto...consegui pintar, com lógica, cabeça e tinta-da-china preta um dos meus melhores trabalhos.
E não foi só pintar. Hoje voltei a dançar como havia muito não dançava. São duas coisas que costumavam libertar-me muito...e que hoje voltaram a libertar.
É, realmente, uma vitória.
.
Cenas em geral, uma dedicatória aos verdadeiros amigos.

sábado, outubro 06, 2007

[Untitled]

"É tão estranho, os bons morrem jovens Assim parece ser quando me lembro de você Que acabou indo embora cedo demais... Eu continuo aqui com meu trabalho e meus amigos E me lembro de você em dias assim Um dia de chuva, um dia de sol(...) (...)E o que sinto eu não sei dizer - Vai com os anjos, vai em paz(...) (...)Não é sempre, mas eu sei Que você está bem agora."